Tudo vem de fora, quer seja intuições do Astral Superior (espíritos esclarecidos), ou do astral inferior (espíritos obsessores)... Carlos Yates

Vibração, atração e afinidade – Por Carlos Alberto Yates

Na Doutrina sempre lidamos com esses três conceitos, que na verdade são distintos, mas impossíveis de existirem isoladamente, isso em se tratando de aspectos espirituais. Sabemos que a lei da atração ocorre entre afins e que, obviamente, os afins se atraem. Encontramo-nos, todos nós, de certa forma enclausurados neste planeta, ainda escola, para podermos melhorar nossa consciência e nos tornarmos seres capazes de sermos desejados nos planos mais superiores da existência que vicejam nos mundos de maior evolução.

Interessante é que, como essência ou espírito, ou mesmo parcela da Força, nós habitamos mundos de ordem superior. Mas só a eles vamos, só neles conseguimos penetrar quando inconscientes, pois só os alcançamos quando, cá na Terra estamos a dormir. E essa condição de “inconsciência” podemos observar que, se de um lado nos permite refazer-nos de nossos desgastes anímicos por outro lado nos impede de interagir, com maior grau de intensidade, com a atmosfera fluídica daqueles planetas a que estamos atidos por estreita ligação de afinidade e atração. Todos sabemos a propensão ao erro que existe em alguém que não traz, desenvolvida em si, a devida capacidade de uma interação correta com um ambiente com o qual pretenda relacionar-se.

Então, já podemos observar que, mesmo pertencente a um determinado patamar evolutivo, deste ficamos alijados de uma maior convivência. Se atentarmos para o fato de como os planetas evoluem vamos entender o que realmente se passa. Quando por exemplo um estagiário ou profissional trainee ascende ao posto desejado, ou seja, avança mais um degrau na empresa, ele deixa de executar determinadas funções que irão ser desenvolvidas por outro profissional em início de carreira.

O Homem e o Universo - Por Carlos Alberto Yates

Este é o título do excelente livro de autoria de Arthur Koestler sobre a história de como os cinco maiores nomes, pioneiros na astronomia, conseguiram mudar, num período de cerca de 200 anos, a visão do cosmos que se tinha até então.

Remontamos até 1473 ano em que nasce Nicolau Copérnico. Até aqui havia a ideia de que os astros se movimentavam em círculos perfeitos na abóbada celeste em virtude de sua “natureza perfeita” pois no céu mãos invisíveis de 55 anjos eram obrigadas a conservar o movimento circular constante das esferas planetárias conhecidas. Para o espírito moderno o fato mais notável da ciência medieval é que ela ignora números, peso, comprimento, velocidade, duração e quantidade pois até aqui se guiava por algumas concepções de Aristóteles o qual havia divorciado a ciência da matemática, em contrapartida aos pitagóricos que procediam mediante a observação e a medição.

Os aristotélicos, pelo método do raciocínio apriorístico utilizavam um estranho sistema de física derivado de noções e não de fatos. Era correta na época a teoria de que a Terra era o centro do universo e onde tudo que acontecia na esfera sublunar era causado e governado pelos movimentos das esferas celestes. Este dogma serviu de base lógica aos defensores da astrologia, tanto na idade média quanto na antiguidade.

Nicolau Copérnico, cônego, adiou a publicação de seu trabalho, “Sobre as Revoluções das Esferas Celestes”, por 30 anos.

Convite a todos aqueles que...

CONVITE

Casa-Chefe Rio de Janeiro
A todos os que sofrem com as decepções e reveses da vida ou aqueles que vivem num momento de bonança, convidamos a conhecerem a nossa filosofia espiritualista Racionalista Cristã, bem como os benefícios da corrente fluídica em uma de nossas reuniões públicas.
A entrada é franca e todos são bem-vindos!

Dias:
2as, 4as, e 6as feiras – das 20:00h às 21:00h
A entrada é permitida entre 19:20h até as 20:07h
Consulte o endereço que mais lhe convém e horários:
Ou tire suas dúvidas:

Visite nossa Filial de Porto Alegre - a entrada é franca e,
todos são bem-vindos!

Reunião Pública de 15 de Fevereiro de 2017
-  Celebração dos 45 anos em Porto Alegre -
Av. Prof. Oscar Pereira, 2301 – Glória
90660-080 Porto Alegre, RS

Poderá gostar de conhecer:
 Corrente Fluídica - Hora do banho espiritual
► Nossas casas um lenitivo para vossos sofrimentos

Leis Naturais e Imutáveis – Vibrações da Inteligência Universal - Por Carlos Alberto Yates e Wilson Candeias

O que é a vida senão a ação permanente da força sobre a matéria. A composição do universo está repleta de força e matéria, a força é ativa, transformadora e inteligente, enquanto a matéria é passiva e plasmável, uma compõe a outra decompõe. Sua ação é mecânica; composição e decomposição, agregação e desagregação.

Segundo Darcy de Mendonça Uchôa, em seus Ensaios de Filosofia de Vida (1989:26) "a matéria inerte não pode perceber por si mesma, ela é acionada por energia de vida e por algo que lhe dá sentido e significação. O conceito de significação transcende os de matéria e energia, parecendo já estar aí a categoria da inteligência, do intelectual, do espirito enfim".

A força se mantém por leis comuns, naturais e imutáveis; comuns, a todos sem exceção; naturais, é a lógica no processo da evolução; imutáveis, por serem absolutas, a exatidão, a certeza e a perfeição.

Ainda, segundo Darcy de Mendonça Uchôa, em seus Ensaios de Filosofia de Vida (1989:66) "há assim vida em todos os reinos: do mineral ao homem, do inorgânico ao orgânico, do vírus, do micróbio, da ameba ao homem, há vibração, movimento, vida desde as partículas subatômicas, do infinitamente pequeno ao macrocosmo, isto é, planetas, sóis, galáxias, universos conhecidos e por conhecer".

Uma visão espiritualista do tempo e espaço - Por Carlos Alberto Yates

Sem a manifestação da força, em qualquer grau evolutivo, não temos a percepção de tempo. Sendo este apenas árido meio, até mensurarmos a duração e sequência dos fenômenos quer psíquicos quer físicos. O que realmente marca a passagem do fator tempo é a expressão da vida, que o utiliza na ação que marca o seu presente, jogando-a imediatamente no passado e buscando na disponibilidade inexaurível do futuro o campo apto para nova expressão. Perfaz, então, neste deslocamento infinito, o explicitamento do seu maior ou menor quilate preenchendo um vazio futuro, e com este ato demarca a chegada do presente. Este modo atual é assim tomado até que outra ação o coloque no pretérito, repetindo-se a caminhada sem retorno na linha do tempo.

Nosso tempo para o futuro será interminável, como nós . O tempo que antecedeu a nós também é infinito. Nascemos em um ponto (evento) entre estas duas grandezas sem fim, para marcar naquele longínquo ato, o poder criador dos princípios supremos da Inteligência Universal. Esta transforma ali, o futuro que estava vazio em presente profícuo para nós e para ela. Fato que, naturalmente, se reverte automaticamente em passado para ambos, pois como vida que são manifestam-se no presente abocanhando imediatamente o futuro, repetindo a jornada vibratória a elas inexoravelmente inerentes.

O futuro será algo sempre planejado, almejado, por nós ou por uma consciência maior à qual estamos sempre ligados na esteira evolutiva. Se assim não for transforma-se em modorrento presente, não sendo nem capaz de produzir o passado. Este será sempre para a partícula um arquivo, cujo valor será tanto maior quanto maior aproveitamento ela tiver, em aprendizado, ao transformar o futuro em presente.

Mecânica do desenvolvimento - Por Carlos Alberto Yates

Segundo a obra básica, Racionalismo Cristão, capítulo V ("O Espírito") temos: "São os movimentos irradiados de um núcleo de força, que é o espírito (partícula), no oceano de uma essência idêntica, que é o Todo, assinalando o poder atrativo que faz com que atributos deste Todo convirjam para o núcleo, desenvolvendo-o e dando-lhe maior potencialidade".

Para desenvolver estes atributos, que são aperfeiçoamentos (ou como diria Antônio Pinheiro Guedes, transmutabilidades) das incipientes propriedades que trouxe desde o "nascer", a partícula exerce as diversas funções no engendramento e funcionamento dos vários corpos que a inteligência universal projetou e disponibiliza na forma de programação astral, sendo naturalmente cada modelo adequadamente destinado à ação de uma força mais ou menos evoluída, conforme a capacidade de gerenciamento desta, de uma maior ou menor complexidade de funcionamento e de compleição física destinada àquele corpo material delineado na matriz (que acredito ser matemática) do corpo astral.

E se não fosse a capacidade de percepção do meio, composto de fenômenos totalmente protagonizados por outras forças, impossibilitada estaria a interatividade, base da troca, condição fundamental para o aprendizado, sustentador da função evolutiva.

Como a partícula trabalhará sempre em conjunto, desde seu aparecimento ao ser usada para estruturar o universo material, será a comunicação entre elas algo de primordial necessidade, desde então até a eternidade.

Aprendizado nas esferas de ação - Por Carlos Alberto Yates

Todas as tarefas que se executam, quer no mundo terra quer no espaço superior, estão atidas à esfera de ação correspondente ao alcance construtivo de cada espírito, e enquadram-se exatamente no que foi traçado no mundo de origem deste.

A programação de nossa vida em linhas mestras de acontecimentos que poderão vir de encontro à nossa rota, obedecem a sistemática do aprender, do fazer e também do sofrer.

Para aprender desenvolve os a arte de querer fazer algo, pois isto nos obriga inapelavelmente a buscarmos conteúdo elucidativo acerca do que nos propomos a realizar a fim de corrermos o menor risco de falharmos.

Invariavelmente, quando bem cumprida a missão, faremos a execução de tarefas, inerentes ao nosso preparo efetuado em nosso mundo de estágio, na nossa esfera de ação, que servirá a um determinado grupo de pessoas, ou comunidades que, com a necessidade que sanamos com o desempenho de nossa função, passam a ter em seu meio quem lhes forneça pronta a tarefa cuja especialidade dominamos.

Somos aproveitados em nossas experiências e aptidões por espíritos de hierarquias mais evoluídas, para desenvolver, aqui na terra, tarefas cujos labores foram detectados aqui como deficitários, pelos planos superiores, que por sua maior evolução tem uma visão futura muito mais profunda do que nós, muito embora seja em plano astral que analisamos e acordamos com a missão a nos ser confiada.

Com o progresso, embora lento da terra, e o aparecimento das ciências e tecnologias, houve a possibilidade de reencarnar aqui, espíritos que utilizavam o pouco já existente para alavancarem maior progresso para todos, permitindo que outros de menor evolução aqui viessem cumprir os seus deveres também, porque já não necessitavam das dificuldades porque passaram os primeiros reencarnantes.

Justos Interventores - Por Carlos Alberto Yates

Clique para OUVIR a Limpeza Psíquica
O universo, no qual desenrola-se a vida astral superior, é composto principalmente de sabedoria e justiça. A sabedoria leva ao exercício da justiça e esta à consciência de que todos são irmãos em essência, apenas em diferentes estágios evolutivos na busca pelo conhecimento. Há nestes planos um equilíbrio de ações que se tornam possíveis visto o grande entendimento da necessidade de determinados atos para suprir hierarquias de menor evolução de conteúdo que as tornem equilibradas, com mais conhecimento e justiça, ao mesmo tempo em que há um movimento evolucionista dentro da própria hierarquia.
Este nosso planeta, desde o aparecimento do homem, tem primado pela falta de conhecimento, justiça e equilíbrio. A ausência destes três fatores em qualquer parte do universo sempre irá gerar sofrimentos, onerando, portanto, em muito, o progresso das partículas atingidas por esta situação.

Hierarquia de leis e partículas de forças inteligentes - Por Carlos Yates

Para nos mostrar que não só o universo espiritual é hierarquizado basta pensarmos que somos, conforme o próprio Racionalismo Cristão nos diz, o universo em miniatura e este universo compõe-se de Inteligência universal, galáxias, sistemas solares, sóis e planetas,  sendo constituído por força e matéria.

Nós seres encarnados somos também força e matéria.

Fazendo uma analogia com nosso corpo físico somos espírito (a inteligência), animando órgãos (as galáxias)  que englobam as células (os sistemas solares) e que tem dentro de si as moléculas e os átomos (os sóis e  planetas).